Sucessão familiar no agronegócio: como fazê-la?

Tempo de leitura: 4 minutos

A sucessão familiar no agronegócio parece ser um processo natural. A maioria dos pais deseja deixar suas propriedades e o negócio para os filhos darem continuidade, no entanto, não é essa a realidade no Brasil.

Com a expansão do mercado de trabalho e o surgimento de novos negócios e tecnologias, os herdeiros tendem a deixar as propriedades rurais em busca de novas oportunidades nas áreas urbanas.

Neste artigo, você verá as dificuldades enfrentadas na sucessão familiar do agronegócio, a importância da agricultura familiar e a relevância do planejamento sucessório. Confira!

Importância da agricultura familiar no Brasil

A importância da agricultura familiar está na grande quantidade de alimentos produzidos por esse tipo de atividade, além de direcionar basicamente sua demanda para atendimento imediato.

Um outro fator importante é que esse segmento não utiliza grandes maquinários — algo mais comum em grandes propriedades —, não havendo a substituição do trabalhador do campo por equipamentos.

No Brasil, apenas 20% das terras agricultáveis estão com agricultores familiares, segundo dados do Censo Agropecuário. Mesmo assim, essa modalidade é responsável por mais de 80% dos empregos gerados no campo, o que mostra a importância na geração de oportunidades e de renda no meio rural, evitando o êxodo rural.

Sucessão familiar e a viabilidade do negócio

Segundo dados do IBGE, 8 milhões de jovens entre 15 e 29 anos vivem no campo, o que parece um número considerável. O grande problema é o enorme desinteresse dos herdeiros em permanecer no campo.

A sucessão familiar possibilita a adoção de novas ideias no âmbito rural. A presença de um administrador com formação profissional, com uma visão diferenciada e habilidades para tocar o negócio é fundamental para evitar prejuízos e prezar pela saúde financeira das propriedades. Por isso, isso se torna uma saída viável para garantir a viabilidade do negócio.

Planejamento sucessório no agronegócio

Planejar é fundamental e aumenta as chances de sucesso de qualquer negócio. No agronegócio, não é diferente. Tomando os devidos cuidados e com uma boa orientação, é possível fazer uma sucessão tranquila e sem grandes impactos.

A transmissão de um patrimônio construído com altos investimentos, não apenas financeiros, mas pessoais e emocionais, não é um processo fácil, já que os conflitos entre gerações na administração são inevitáveis.

Mas, para manter a empresa sob o controle familiar, é preciso separar o lado emocional e buscar rentabilidade e crescimento por todas as partes envolvidas. A manutenção do negócio deve ser mais importante que a opinião de cada um.

Testamento e riscos de litígio judicial entre herdeiros

Um dos grandes riscos de litígio entre herdeiros é a sucessão em decorrência de morte de um dos membros da família, a partir da transferência de bens direitos e obrigações que compõem o patrimônio (herança) construído pelo falecido ao longo da vida.

Caso não haja a partilha dos bens entre os herdeiros em vida e nem houver testamento, os herdeiros podem litigar durante anos, em um processo de inventário para resolver a partilha dos bens, o que pode gerar insegurança e prejuízos.

Para evitar esses transtornos, é preciso deixar um testamento e celebrar um acordo de sócios, determinado a sucessão da empresa.

Riscos da sucessão familiar

Alguns acontecimentos trazem riscos sucessórios à empresa familiar, como a separação de sócios, a dissolução de uniões estáveis, mortes e a inclusão de terceiros não desejados, além de questões tributárias.

Já os riscos ao patrimônio estão relacionados à falta de clareza entre os bens advindos da atividade rural e bens particulares de pessoas físicas, assim como à dificuldade no processo de divisão de patrimônio.

A sucessão familiar no agronegócio, assim como a gestão compartilhada entre gerações, é um tema cuja relevância interfere no futuro do Brasil como uma potência agrícola. Por isso, despertar nos mais jovens o desejo de dar continuidade é um dos grandes desafios enfrentados pelo setor, mas que, se bem planejado, renderá bons frutos.

E aí? Gostou do artigo? Então, deixe o seu comentário e ajude a enriquecer o assunto.

Sobre Contática Contabilidade

A Contática está preparada pra lhe atender. Fazemos questão que toda tributação seja conhecida e seja amplamente debatida, não temos limite de consultoria, reuniões e planejamentos tributários, são ferramentas essenciais. São por estes e outros motivos que a Contática é a primeira e única empresa contábil do Estado de Mato Grosso a possuir a certificação ISO 9001. Nossos clientes são assegurados com garantia de qualidade e satisfação. Colocamos à disposição de nossos clientes toda experiência e nosso “know-how” de 20 anos de mercado. Hoje somos sócios da RNC – Rede Nacional de Contabilidade, temos a satisfação de compartilhar conhecimento nos 23 Estados da Federação, é com orgulho que atendemos juntos a mais de 5.000 clientes em todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *